Ter Voz


Partido Socialista
Partido Socialista
Secção de Benfica e
São Domingos de Benfica
Lisboa
Portugal em Acção

Verba Volant,
Scripta Manent



Estamos constantemente a utilizar termos que têm uma intenção e uma extensão que não são inteiramente aptas;
teoricamente, são em princípio criados para serem aptos;
mas se não o conseguem, então terá de ser encontrada uma outra maneira qualquer de lidarmos com eles, de modo que possamos saber em qualquer momento aquilo que pretendemos significar.
T.S.Eliot








Arquivos
Abril 2003

Maio 2003

Junho 2003

Julho 2003

Agosto 2003

Setembro 2003

Outubro 2003

Novembro 2003

Dezembro 2003

Janeiro 2004


Contacto @mail
Ter Voz


* Membro efectivo *
BlogA!?




Blogs PS
Blog Vozeirão Virtual

Blog Forum Cidade

Atitude
Baixo Alentejo
O Desenvolvimento sustentável
Fórum Cidade
Independências
Notícias breves PS Santarém
Política com arte
Vereadores PS Câmara Lagoa
Vozeirão Virtual


Apontadores e Alojamento Blog
Bloco Notas
Blogo
Blogs em PT
Blogs no Sapo
Frescos
Weblog.com.pt (Pt)


Para saber...
Portal Maçónico
Opus Dei
Estudos sobre o Comunismo (Pt)


Toma lá...
Abrupto
Quadratura do círculo

Toma lá... Dá cá...
<- A ->
Adufe (Pt)
Almocreve das Petas
Analiticamente Incorrecto
Anarca Constipado
Ânimo
Arte de Opinar (Pt)
Avatares de um desejo
Aviz

<- B ->
Barnabé (Pt)
Bazonga da Kilumba
Bloga!? (Pt) *
Blogame Mucho
Blogo Social Português
Bloguítica
Bota a cima (Br)
Buba
O Bugue

<- C ->
O Carimbo
Causa Nossa
Cidadão Livre
Congeminações (Pt)
Cruzes Canhoto

<- D ->
Daedalus
Dentadas
Desblogueador de Conversa
Descrédito
Des-encantos
Dicionário do Diabo

<- E ->
A Espada Relativa
Estaleiro
Exacto

<- F ->
Os Filhos da Madrugada (Pt)
Fumaças (Pt)

<- G ->
Gang-Grupo Arquitectos
Gato Fedorento
Glória Fácil
Governância
Grande Loja Queijo Limiano

<- I ->
Indis(pensáveis)
Irreflexões

<- J ->
Jaquinzinhos
Janela para o Rio (Pt)
Jornalismo e comunicação
O Jumento

<- K ->
Klepsýdra

<- L ->
Laranja Amarga (Pt)
Liberdade de Expressão
Linhas de Esquerda

<- M ->
Mar de Abrantes
Marretas
Mar Salgado
Mata-Mouros
Memória Virtual (Pt)
Mephistopheles
Método Eleitoral *
Miniscente
O Miradouro

<- N ->
A Natureza do mal
Nimbypolis
Notas Verbais

<- P ->
O País Relativo
Paulo Gorjão
Para mim tanto faz
No Parapeito
Penduras
Pedra no Charco
A Pente Fino
Pessoal in Transmissível
Picuinhices
Poetry Café (Pt)
Pelourinho de Lisboa
Ponto Media
Ponto e Vírgula
A Praia
O Prazer da política

<- Q ->
4ª Ferida Narcisica

<- R ->
Respirar o Mesmo Ar

<- S ->
Satyricon
Ser Português(Ter que)
Silêncio (Pt)
Solidariedade Blog *
Solistência (Br)

<- T ->
Tá de Chuva (Pt)
Tanto País (scheeko) (Pt)
A Teia
Terra do Sol
Terras do Nunca
Tlix
A Toca do Gato
Três Tesas não pagam dívidas (Pt)
Tugir em português

<- U ->
Último Reduto (Pt)
Umbigómetro (Pt)

<- V ->
A Verdade da Mentira (Pt)
Veto Político
Viva Espanha

* Blog's colectivos de que o Ter Voz faz parte

RIP
Politicamente incorrecto


Technorati

Jiminy Cricket

Contador (site) Contador (site) Contador (site) Contador (ext) Contador (ext)






Partido Socialista
Benfica e
São Domingos de Benfica
Lisboa



a Secção Outubro-Dezembro 2003
a Secção
Outubro/Dezembro 2003






Google
Outros WebSites

Partido Socialista
Site Oficial do PS

GP PS
Grupo Parlamentar PS

Benfica/S.Domingos Benfica
Benfica/S.Domingos Benfica


Euro2004


Blog Ter Voz
www.tervoz.blogspot.com




Ter Voz
Um Projecto a dois anos para o
PS Benfica e São Domingos de Benfica - Lisboa

terça-feira, setembro 30, 2003
 
O Secretariado da Secção de Benfica e São Domingos de Benfica, reunido no dia 29 de Setembro de 2003, em sessão ordinária, deliberou por unanimidade:
1. Manter a presença da Secção na Internet através do WebSite e dos Blog's Ter Voz e Vozeirão Virtual dando cumprimento ao seu programa de acção no capítulo da interactividade dos militantes com todos os cidadãos.
2. Reafirmar a confiança política e pessoal no Gestor do Site e dos citados Blog's.
3. Não reconhecendo qualquer ofensa pessoal feita nos textos (post) publicados no corpo do Blog, manter a sua publicação.
4. Reconhecendo o carácter ofensivo para todas as partes de determinados comentários a um desses textos, repudia tais conteúdos mas decide não agir sobre nenhum deles (porque, poderia ser parcial). Recomenda ao Gestor do site que não volte a permitir a permanência de comentários anónimos ofensivos (*) da honra ou do bom nome de militantes, estruturas ou órgãos do Partido Socialista.
5. Sendo os comentários aos textos da inteira responsabilidade dos seus signatários e sendo estes acessíveis a todos os visitantes dos Blog's da Secção, o Secretariado apela às regras de civilidade dos seus autores, competindo ao Gestor dos Blog's decidir da sua permanência.
(*) (que não estejam identificados pelo nome e endereço electrónico ou URL válidos)
Lisboa, 30 de Setembro de 2003
O Secretariado da Secção de Benfica e São Domingos de Benfica


Virar de página
9/30/2003 02:21:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)



sábado, setembro 27, 2003
 

Até ás conclusões da reunião do Secretariado da Secção que se realiza na próxima 2ª Feira, dia 29 de Setembro, não serão editados "Post's" neste Blog.
Jiminy Cricket
9/27/2003 09:52:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Acção Socialista

É lamentável

O Acção Socialista, órgão oficial do Partido Socialista traz hoje uma entrevista com o chefe do Gabinete do nosso Secretário-Geral.
Para quem não saiba, o Mark Kirkby é militante da nossa Secção e é comentador residente do Blog País Relativo. O Acção Socialista é um órgão de Imprensa do PS, pago directamente por todos os militantes e talvez por isso, no fim da entrevista de página inteira que fez ao Mark, entendeu citar o endereço do Blog Ter Voz (numa caixa, intitulada Blogs de Esquerda).

Quando o AS pergunta a Mark Kirkby (que, uma vez mais, insisto, é militante da nossa Secção):
"Pode identificar alguns blogues de esquerda para as pessoas poderem ter acesso directo a eles? "
Ele responde:
"Há por exemplo, o chamado Blogue de Esquerda, feito por militantes do BE, que foi o primeiro a ter notoriedade e é capaz de ser, pelo facto de ser o mais antigo, o que recebe mais visitas. Há aquele em que eu escrevo, o País Relativo, que é um blogue de pessoas da área do Partido Socialista, ainda que nem todos sejam militantes. Enfim, hoje em dia há vários que começam a surgir e que têm de alguma forma vindo a equilibrar a blogosfera, onde antes predominavam mais os blogues de direita. "

Para que se saiba. Para que o Mark Kirkby e o Acção Socialista saibam:

O Ter Voz está editado e tem entradas diárias de textos desde o dia 7 de Abril de 2003
O Ter Voz é, até ao momento o único Blog que tem afixado na sua página o símbolo do PS
O Ter Voz já foi consultado (unique visitors) por 5.700 cibernautas.
O Ter Voz é o Blog da tua Secção, Mark. É de esquerda e é do PS.
O Acção Socialista merece a censura por não nos divulgar, como a merece por nunca ter divulgado o nosso WebSite que existe desde 25 de Maio de 1999.
O Secretariado da Secção não deixará de reflectir sobre este facto.

Luís Novaes Tito (LT)
Secretário Coordenador da Secção de Benfica e São Domingos de Benfica

Em tempo: Muitas vezes tenho estado de acordo com o nosso Camarada Augusto Santos Silva. No entanto, nunca estive tanto como no Editorial que escreveu no último Acção Socialista.
9/27/2003 07:47:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Submarino

... Diz-se e parece ser verdade

que no dia 29 vai haver "caça grossa" na blogolândia.
Fontes cada vez melhor informadas (zonas históricas de Lisboa) confirmam o início de um Blog com participações de Eduardo Prado Coelho, António Mega Ferreira, Vicente Jorge Silva, Helena Roseta, Miguel Coelho, António Rebelo de Sousa, Vasco Franco, Paulo Noguês, Ana Sara de Brito, António Dias Baptista, Duarte Cordeiro,José Magalhães e Guilherme d'Oliveira Martins.
Segundo as mesmas fontes, será um por dia, com fim de semana à inglesa.
Promete, quem diz saber, que há muitos mais na calha, para tratarem assuntos de Lisboa.
Continuo atento à espera da divulgação do tal endereço.
(JPP, isto não é como o MM. Não faça queixinhas na SIC)
Jiminy Cricket
Nota de esclarecimento: O tal Blog é Fórum Cidade - www.forumcidade.blogspot.com e começa com um texto de Eduardo Prado Coelho
9/27/2003 06:08:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Helicóptero

Manobras de diversão

Hoje, ontem e anteontem os noticiários nacionais abriram e prolongaram-se por muitos minutos com a gravíssima problemática do helicóptero que está ao serviço dos bombeiros de Lamego.
Pedem-se cabeças, exigem-se demissões nas estruturas de todos os níveis, investiga-se à exaustão o “polvo” envolvido neste atentado fundamental contra a Nação Lusitana.
Esqueceu-se o fogo assassino que, por inoperância e incompetência, matou pessoas e destruiu património pessoal, nacional e mundial, esqueceu-se o desemprego que todos os dias afecta milhares de cidadãos, esqueceram-se os assaltos que se vão repetindo todos os dias, por toda a parte, esqueceram-se as filas de espera que aumentam nos hospitais, esqueceram-se as propinas que duplicaram e triplicaram no último ano (foi da minha cabeça, ou ainda ontem ouvi o Reitor de uma Faculdade de Lisboa dizer que se fosse o Ministro, se demitia?), esqueceram-se as fugas aos impostos, esqueceram-se os assaltos à máquina do Estado com entradas de pessoal (quantos passeios de helicóptero custam todos os meses, os excessos do ACIME), esqueceram-se a catadupa de nomeações e a tomada do poder, esqueceram-se os usos abusivos dos carros do Estado, esqueceram-se as prepotências que se têm feito na justiça portuguesa, esqueceram-se os maus resultados económicos.
O 15 dos bombeiros de Lamego está para a informação portuguesa como o Big Brother da 4 está para a alegria dos pacóvios, para as intrigas e para a inveja nacional.
Quem nunca tirou umas fotocópias a mais no emprego? Quem nunca desviou umas esferográficas? Quem nunca fez uma chamada telefónica pessoal do emprego? Ou recebeu e enviou um E-mail? Ou espreitou a Internet em visita particular?
Reconheço que o helicóptero dá mais nas vistas. Reconheço que parece mais caro (gostava de saber “só” o valor global diário gasto na Administração Pública em fotocópias particulares). Reconheço que tudo isto tem de ser moralizado e controlado.
Reconheço o bom trabalho da SIC ao denunciar o caso.
Apurem-se as responsabilidades e penalizem-se os culpados.
Mas deixem de nos intoxicar com as nuvens de pó levantadas pelas descolagens e aterragens do 15 dos Bombeiros de Lamego.
LT
9/27/2003 06:08:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Helicóptero

Semelhanças com o presente

Ontem, li o livro, brevemente espero ver a peça.
Se observarmos com alguma atenção conseguimos transportar a actualidade política nacional para os diálogos que Diogo Freitas do Amaral redigiu com mestria. Há alguma verosimilhança. Consigo descortinar Portugal no papel de Viriato e aquelas duas personagens, Audax e Ditalco não me são nada estranhas…
Como afirma Druiata: “o mais importante é resolver o problema da chefia. O que tem faltado aos lusitanos é um bom comando, um verdadeiro Cintux. Quando ele é fraco, o povo é fraco; mas quando o Cintux é forte, o povo é forte.”
Os lusitanos, para o bem comum, precisam de um Cintux de Ferro!
CMC
9/27/2003 01:14:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Europa

Questão europeia

O CMC tem razão quanto à questão europeia, é necessário um profundo debate sobre a União Europeia.
Relativamente à União Europeia e mais concretamente ao Pacto de Convergência que todos os Estados membros tem de respeitar, tenho vindo a reflectir que de facto é um instrumento importante para que os países possam Convergir. Mas o que eu penso é que não poderá o pacto espartilhar o desenvolvimento social e humano que os países devem prosseguir sob pena de qualquer dia a cultura economicista da sociedade prevalecer sobre a cultura social, esta sim um objectivo que a União deveria assumir sem qualquer sofisma. Urge de facto discutir o rumo da construção europeia.
JN
9/27/2003 12:04:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)



sexta-feira, setembro 26, 2003
 
Europa

A Europa Connosco, Connosco na Europa

Os assuntos europeus começam a marcar a sua presença na agenda política nacional. A forma tímida como são abordados tende a dissipar-se e, por isso, não é de estranhar o debate Europa começar a ser já e não, como era seu timbre na política doméstica, debate do amanhã.
As eleições europeias avizinham-se. Os partidos começam a preparar esta temporada que termina precisamente no período das eleições para o Parlamento Europeu. Mas, antes de qualquer preocupação, que cada formação partidária terá em formar a sua lista ao hemiciclo Bruxelas/Estrasburgo, os trabalhos da Convenção, a decorrer no início do próximo mês de Outubro, sob presidência italiana, dominarão todas as atenções. O passo a ser assumido é decisivo para o futuro da União, depois do outro grande passo - o do alargamento, concluindo-se, em definitivo, no próximo mês Maio de 2004 quando dez novos países passarem a ser Estados-membros da UE. Para onde caminha a ambição do Velho Continente?
Prevejo que o trabalho da Convenção promoverá, neste universo “bloguítico”, um debate aceso, intenso, com os prós, os contras e os indecisos. Todavia, a finalidade deste texto não se prende com a Convenção, este tema terá os seus tempos áureos em breve, mas sim com as opções político partidárias dos principais partidos portugueses.
O PS sempre foi e é um partido pró-Europa. Recordo o recente debate, intenso, no seio do Partido Socialista, que levou Augusto Santos Silva a um périplo pelo país, debatendo com os militantes socialistas a nova Declaração de Princípios que entretanto se preparava. Ao ser aprovada pelo XIII Congresso, o PS define claramente o que pretende da UE:
Fiel à opção básica que fez dele o partido liderante na fundação, em Portugal, da democracia de matriz pluralista e europeia, o PS é totalmente favorável ao processo de construção europeia e ao desenvolvimento, aprofundamento e alargamento da União Europeia. Reclama com igual firmeza que esse seja um processo democrático, participado e controlado pelos cidadãos europeus, e pugna, portanto, por uma transformação das instituições e das práticas políticas europeias, no sentido da sua maior aproximação aos cidadãos. O PS é contrário às atitudes de fechamento e proteccionismo ilegítimo, e frontalmente adversário da ideia de uma Europa-fortaleza, obcecada com os seus próprios privilégios e indiferente à sorte dos restantes povos.
Para os socialistas, as respostas aos grandes desafios com que se vêem confrontadas as sociedades de hoje têm de ser procuradas num quadro supranacional e, até, global, que sustente o primado do poder político democrático sobre os outros poderes, em particular o económico. As questões-chave do desenvolvimento sustentável, a promoção do crescimento e do emprego, a regulação dos fluxos migratórios e a integração social dos imigrantes, o combate contra o crime organizado, o terrorismo e outras causas de insegurança, ou ainda uma política externa e de defesa comum, ao serviço da Europa e dos seus valores, são, entre outras, dimensões da política para as quais as respostas disponíveis ao nível dos actuais Estados são crescentemente insatisfatórias. Por isso, para o PS, o reforço da legitimação das instituições europeias vai de par com a renovação dos seus poderes, para a realização dos objectivos comuns, fundados numa Constituição da União Europeia; e esta é uma questão essencial da reforma democrática de tais instituições e da progressiva afirmação de uma cidadania europeia, que não substitui, antes complementa e revigora, as cidadanias nacionais.

Os valores do PS são conhecidos e sempre foram coerentes com a sua postura.
É importante, neste momento, que os outros partidos políticos definam a sua posição, para que os projectos sejam debatidos com frontalidade, sem tibieza, sem artimanhas, pois os portugueses têm o direito de saber o que pensa e quer cada partido para o país no seio da União.
CMC
9/26/2003 11:21:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Submarino

... Diz-se ...

que no dia 29 vai haver "caça grossa" na blogolândia.
Fontes bem informadas (geralmente) falam de um Blog com participações de Eduardo Prado Coelho, António Mega Ferreira, Vicente Jorge Silva, Helena Roseta, Miguel Coelho, António Rebelo de Sousa, Vasco Franco, Paulo Noguês, Ana Sara de Brito, António Dias Baptista, Duarte Cordeiro.
Segundo as mesmas fontes, será um por dia, com fim de semana à inglesa.
Promete, quem diz saber, que há muitos mais na calha, para tratarem assuntos de Lisboa.
Havendo mais notícias, comunico.
(Espero que JPP não mande fechar o Ter Voz)
Jiminy Cricket
PS. Telefonou-me "a fonte" a dizer que lhe disseram que alguém ouviu dizer que entravam também José Magalhães e Guilherme d'Oliveira Martins.
Bolas, lá se vai a audiência do Ter Voz!
9/26/2003 02:18:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Durão
O busilis

10:00 h
Se tenho coligação para as Europeias, tenho de deitar fora o Pacheco.
Se tenho Pacheco para as Europeias, tenho de deitar fora a coligação.
Já sei! - Santanéte, ligue-me para o meu amigo George!

13:00h
Bolas, toda a manhã para fazer a chamada. Até que enfim!
Tá, George! É o José! Estás bom?
Tou aqui com um problemaço. Se me coligo o gajo vai prós blog's fazer "early morning's" sobre chernes. Se não me coligo o outro põe-se a falar de imigração e estou lixado.
Áh, isso é uma grande ideia. Espera, estou a escrever, nunca sei se é maciça ou massiva.
Que estão na Base Naval? Pois, pois...Hum...hummm... mas o tipo não se cala com os submersíveis. Diz que sabe lá o que se irá passar daqui a dez anos no Atlântico Norte. Pois, eu sei, pá! Não serve para nada, mas como ele diz, se os outros têm, o gajo também quer ter. Tá bem. Essa não passava pela cabeça de um careca. OK!!!
És um amigalhaço. Espera, não desligues. É só pra dizer que já mandei os tipos da GNR... Tá bem, mas o que queres que faça? Agora não posso mudar o nome, já está apertado.
OK. Abraço!
Santanéte, ligue-me para o Pacheco!
Tá, Pacheco. Acabo de te designar meu mandatário ao Congresso dos gajos.
Estás a mandar-me ir escrever no Blog? Malcriadão, deve ser das más companhias...
LT
9/26/2003 09:43:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Edward Said
O desaparecimento de um grande Homem

Através do Bloguítica Nacional, soube que faleceu Edward Said.
Há muito tempo que era conhecido o seu caso de leucemia e que, provavelmente, esta doença foi o seu grande obstáculo, impossibilitando-o, por que assim o quis, de forma consciente, calculo, de confrontar o líder carismático da Autoridade Palestiniana Yasser Arafat.
O planeta fica mais pobre. O mundo académico perde, definitivamente, uma das suas grandes pérolas.
Em breve, teremos, pela chancela das Edições Cotovia, a sua obra de referência: Orientalismo.
Said disse que “o exílio é um dos destinos mais tristes”. Neste momento, a tristeza toca-nos, mas é o destino que nos impõe não permitirmos o exílio da Humanidade.
CMC
9/26/2003 01:01:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)



quinta-feira, setembro 25, 2003
 

Diz hoje Paulo Gorjão que:
“(...) na passada terça-feira, um debate com José Sócrates organizado por militantes do PS, ao qual o Ter Voz deu ampla divulgação.
Segundo transparece do DN e do Público de hoje, o debate parece ter sido um sucesso em termos de participação. E, aparentemente, alguns militantes do PS - que não aceitam críticas vindas do exterior - não pouparam Sócrates a uma ou outra pergunta mais difícil. (...)
Afinal, parece que pelo menos alguns dos militantes lúcidos do PS também acham que as coisas não estão no bom caminho.
(...)”

Nós, no Ter Voz, esclarecemos:
Não foi um grupo de militantes, mas sim o Secretariado da Secção de Benfica e São Domingos de Benfica que promoveu o debate, que está inserido num ciclo de reuniões com outros dirigentes nacionais (o seguinte será Vieira da Silva para um debate interno).
Compete-nos fazer um pouco de pedagogia, porque as bases do Partido Socialista não se limitam a ser grupinhos de pessoas que vão para os comícios abanar as bandeiras e bater palmas.
No Partido Socialista, as bases, os militantes, não são vegetais, que andam com os VIP's ao colo. São, por sistema, calorosos e frontais e utilizam as Secções como espaços de formação, debate e militância política e não só de convívio, ao contrário do que muitos não militantes pensam. (A nossa Secção sempre foi prova viva do que acabo de afirmar)
Os militantes do PS são erotemáticos, pensam pela sua cabeça e decidem como entendem. Detestam que os caracterizem de lúcidos ou menos lúcidos como fez este nosso parceiro da Blogolândia. (e que lhe ficou muito mal)
LT
9/25/2003 06:31:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Sistema eleitoral
Sistema Eleitoral e Parlamentar - Diálogo entre Blog's II

Hipótese II (círculos uninominais) - Importa ter presente o que significa (eleição de uma só pessoa) este tipo de sistema e qual o seu reflexo no sistema de partidos. Normalmente, estão criadas as condições para a bipolarização, esta afirmação tem como exemplo subjacente o caso francês ? maioritário a duas voltas, na medida em que o sistema de partidos é multipartidário.
Os casos anglo-saxónicos são abordados mais à frente, pela especificidade própria.
Detendo-me um pouco mais no caso gaulês, visto que a adoptar um tipo de sufrágio uninominal no nosso país, o francês parece-me o mais próximo, podemos constatar o que está a acontecer em França, onde sistema eleitoral está a ser determinante nas transformações do sistema partidário. A Direita democrática é hoje representada praticamente por um partido: a UMP, e tem actualmente uma maioria esmagadora na Assembleia Nacional. A Esquerda democrática tem o seu peso no PSF. Quer a UMP, quer o PSF, tendem a dominar o Parlamento, consoante o ciclo político. O PCF tem vindo a perder peso eleitoral. Nas últimas legislativas teve uma grande dificuldade em formar um grupo parlamentar, visto que só o pode formar se tiver pelo menos 20 deputados, alcançou o grupo mas com enormes dificuldades. As outras forças políticas têm pouca expressão, isto a nível legislativo. Aliás, costuma-se dizer: na primeira volta vota-se no partido, na segunda volta vota-se por exclusão.
Ora, em parte, num sistema como este, a primeira sensação com que ficamos é que há dois grandes partidos, um à direita, outro à esquerda. Contudo, a França tem demonstrado, nas eleições presidenciais, o seu verdadeiro tendão de Aquiles. Como é que um homem, como Le Pen, com pouquíssimos, neste momento, deputados na Assembleia Nacional, consegue obter bons resultados nas eleições para Presidente? Porque na realidade, aqueles que votam Le Pen, votam, normalmente, nas legislativas FN, cerca de 15%, mas, como a segunda volta, nas legislativas, só permite passar os dois candidatos mais votados, caso passe um de esquerda, PSF por exemplo, e passe outro candidato, este da FN, normalmente a Direita democrática apela ao voto no candidato do PSF. Temos uma discrepância. Na Assembleia Nacional a FN não tem expressão, nas presidenciais, o seu líder obtém bons resultados.
Por conseguinte, no que à circunscrição eleitoral (círculo eleitoral múltiplo), ao tipo de sufrágio (uninominal) e ao modo de escrutínio (maioritário) diz respeito, os resultados nacionais, podem alterar, alteram quase sempre, por completo aquela que foi a vontade geral. O Partido A pode alcançar 15% dos votos e no entanto pode nem chegar a eleger um deputado. O caminho para a bipolarização está aberto.
Pessoalmente, considero que o nosso sistema de partidos é o correcto para o nosso país, sou daquelas pessoas que entende que o CDS e o PCP fazem falta na Assembleia da República. Há quem tenha outro tipo de posição, e nesse caso, teríamos, evidentemente, uma Assembleia só com o PS e o PPD.
Por uma questão história, social, política, cultural, defendo o actual sistema proporcional.
Caso paradigmático do tipo de sufrágio uninominal é o britânico. A senhora Thatcher, numas eleições, nem chegou aos 40% dos votos e obteve a maioria na Câmara dos Comuns. Condições do sistema maioritário.
Em suma, não imagino o sistema britânico em Portugal, assim como o luso em terras de Sua Majestade. Enfatizo, uma vez mais, que não há sistemas perfeitos.
CMC
Nota do Adm do Blog: Foram contactados, à partida, para esta reflexão (iniciativa do Janela para o Rio): Mata Mouros; Catalaxia; Alfacinha; A Sombra; Picuinhices; O Complot; Espigas ao Vento; Cidadão Livre; Comprometido Espectador; Blogue sem Nome; Terras do Nunca e Fumaças
Jiminy Cricket
9/25/2003 01:37:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Anjo Gótico




No Comments


(...) Não tenho qualquer intenção competitiva, por dois motivos principais. Por um lado, porque, naquele esquema, dificilmente alguém fará melhor, muito menos eu. Marcelo é, ao mesmo tempo, o criador e o melhor executor da sua criação. É um comunicador nato e usa os mecanismos apropriados. Pode discutir-se o conteúdo, mas não o domínio da fórmula que é total e tailor made. (...)
(...) Não faço nenhuma verdadeira distinção de fundo, embora as haja de método e de tom, entre o que escrevo nos jornais, escrevo no blogue, digo na rádio ou na televisão. A mim o que me interessa é argumentar, persuadir e se possível convencer, porque não sou indiferente ao que penso e àquilo sobre que tenho opiniões, não sou indiferente aos resultados das palavras na acção, considero que há um sentido cívico neste tipo de intervenções. Vamos ver se resulta.

LT
9/25/2003 12:46:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)



quarta-feira, setembro 24, 2003
 
Tempo Dali

Ao Veto

Sei que esta é uma ladainha, lá estou eu a ser politicamente incorrecto (para mais depois dos ditos e escritos da Revista Jesus sobre o retrocesso canónico), mas o pouco tempo livre que neste momento disponho, tem de ser gerido.
Para isto, Nélson, bastava um comentário, mas ainda não os tens...
Concordo, "quase", com o que é dito em "cacocracia" (boa palavra).
Assim que puder, comentarei.

LT
9/24/2003 11:56:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Outdoor
Lusa – 2003-09-24
Santana Responde a Críticas de Pacheco Pereira Sobre Cartazes
O presidente da Câmara de Lisboa, Santana Lopes, classificou ontem como "sinónimo de ignorância" as críticas - como as do seu colega do PSD, Pacheco Pereira - aos cartazes de auto-propaganda que a autarquia espalhou pela cidade.
Sem nunca referir o nome de Pacheco Pereira, o número dois do PSD defendeu que as despesas em "marketing" e publicidade são "um investimento" e uma forma de "explicar aos utentes o que é que a câmara anda a fazer".
No passado domingo, na sua estreia como comentador da SIC, o eurodeputado Pacheco Pereira criticou o cartaz que recorda aos munícipes que a câmara reparou o pavimento de uma rua em Lisboa. "É como se as empregadas de limpeza da câmara deixassem bilhetes nos gabinetes dos vereadores: 'Já reparou como o seu gabinete está limpo?'", ironizou.
Ontem Santana Lopes reagiu, defendendo a importância dos "outdoors".
"Chamo a atenção dos contribuintes para a maneira como é gasto o dinheiro da câmara", justificou, referindo-se aos cartazes que perguntam ao cidadão se "já reparou" nas intervenções que a autarquia fez em certas zonas.
Santana Lopes revelou que o custo destas operações de "marketing" "nunca passam de 1,5 por cento do valor das obras". Mas reconheceu que "talvez esta seja uma maneira de trabalhar que não é consensual".
"É evidente que quem não faz obra não pode pôr cartazes. Há os que gostam de chamar a atenção e há os que não gostam, eu admito que gosto", assumiu. A "guerra" não declarada entre o número dois do PSD e o cabeça de lista do PSD pelo Porto nas últimas legislativas não passou despercebida à oposição. "Termos o presidente da câmara a comentar outros comentadores televisivos é no mínimo original. Estamos um pouco confusos ao vê-lo criticar o seu colega de partido, porque não sabemos se quem está a falar é o presidente, o comentador ou o vice-presidente do PSD", ironizou o deputado municipal Miguel Coelho, do PS.
LT
9/24/2003 08:40:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Sistema eleitoral
Sistema Eleitoral e Parlamentar - Diálogo entre Blog's I

O debate, Sistema Eleitoral e Parlamentar, levantado pelo Nuno P, do Janela Para o Rio, é premente e interessante. O diálogo requer uma abordagem pormenorizada e cuidada, pois os diversos factores em causa precisam de ser distinguidos para que os possamos analisar com alguma coerência e por mais sinceras que sejam as perspectivas, elas têm de salvaguardar pequenos, mas grandes, detalhes.
Como é um assunto que dá pano para mangas, exploro, para primeiro texto, a primeira hipótese colocada pelo Nuno P.
Hipótese I - Os deputados serão sempre da Nação, aprecie-se ou não a expressão, eles e elas são cidadãos e cidadãs com nacionalidade portuguesa, a única que conheço no nosso país - Portugal. Concebendo, como o Nuno P. fez, que existia uma única lista nacional, por exemplo: 100 (número dado pelo Nuno P.) deputados à Assembleia da República. Os partidos políticos faziam, cada um a sua lista e apresentavam ao eleitorado. Pois bem, este tipo de eleição, exige ou um sistema maioritário ou um sistema proporcional. Sistema maioritário está fora de hipótese; fosse simples, a duas voltas, ou preferencial, o partido vencedor ocuparia todos os lugares, visto que o círculo eleitoral era único, nacional. Assim, teríamos de recorrer ao sistema de representação proporcional e neste temos os seguintes subsistemas: o resto maior, Hont, Saint-Lagué. A escolha recairia num dos três. Portanto, a escolha teria de existir. Incontornável. Se não se é adepto do método de Hont, há outros dois subsistemas, um deles seria o escolhido.
Até agora tudo parece simples. Mas, olhemos com mais atenção para as listas apresentadas pelos diversos partidos. O que aconteceria, no caso português? Teríamos, muito provavelmente, um açambarcamento do litoral, isto é, a maioria das pessoas que fariam parte da lista seriam oriundas do eixo Braga-Setúbal, despontando Porto, Lisboa e talvez Coimbra. Certamente, que outras personalidades figurariam na lista, mas seriam pontuais, uma de Bragança, outra de Faro e mesmo que se quisesse cumprir um cota de representação de distrito - não nos esqueçamos das ilhas - a existir, importa sublinhar que só o primeiro terço, nalguns casos um pouco mais de 33%, de cada lista chega a ser eleito. É caso para perguntar: onde é que esta perspectiva (hipótese I) cumpre o objectivo de ter deputados à Assembleia da República, da Nação, com cidadãos de todos os distritos do país? Os eleitos pelos diversos círculos, em especial os do interior e das ilhas, são os que têm noção, melhor do que ninguém, do que se passa no distrito por onde foram eleitos. De certeza que não é o eleito pelo círculo de Viana do Castelo que vai responder às questões colocadas pelo cidadão do distrito de Portalegre, tão bem como o eleito pelo distrito alentejano mais a norte pode responder.
CMC
Nota do Adm do Blog: Foram contactados, à partida, para esta reflexão (iniciativa do Janela para o Rio): Mata Mouros; Catalaxia; Alfacinha; A Sombra; Picuinhices; O Complot; Espigas ao Vento; Cidadão Livre; Comprometido Espectador; Blogue sem Nome; Terras do Nunca e Fumaças
Jiminy Cricket
9/24/2003 06:57:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Sócrates
RTP OnLine – 2003-09-24
Sócrates diz que Portugal está numa das piores crises desde o 25 de Abril

O dirigente socialista José Sócrates considerou terça-feira à noite, perante militantes da secção do PS/Benfica, que Portugal "atravessa uma das mais graves crises económicas desde o 25 de Abril".
As posições de José Sócrates foram defendidas perante cerca de quatro dezenas de militantes do PS/Benfica, ocasião em que se demarcou da corrente "auto flageladora", daqueles que "pensam renovar a esquerda em nome do abandono daquilo que se fez ao longo dos seis anos de governos" de António Guterres.
José Sócrates defendeu a ideia de que o PS respeitará "a sua tradição" se concorrer sozinho a "todas as próximas eleições".
Sócrates falou "dos buracos negros" do actual Governo, dando como exemplos os sectores da saúde, das obras públicas, da cultura e, sobretudo, do ambiente.
Lusa
Jiminy Cricket

UpDate:
- José Sócrates enfrenta descontentamento das Bases in Diário de Notícias - 2003-09-25
- Sócrates contra PS amargo e maldizente in O Público - 2003-09-25
- Sócrates defende um PS moderado que não siga a contestação social in Jornal de Notícias - 2003-09-25
- Sócrates quer PS sozinho nas legislativas in Primeiro de Janeiro - 2003-09-25
- PS moderado in Correio da Manhã - 2003-09-25
9/24/2003 01:37:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
No Blog Vozeirão Virtual
pode comentar as acções do Secretariado da Secção de Benfica e São Domingos de Benfica.
Jiminy Cricket
9/24/2003 03:02:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
olá bloggers,
o Jorge Nuno está de volta.
9/24/2003 01:46:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)



terça-feira, setembro 23, 2003
 
Bush
Não é, por acaso...

G.W.B. pede ajuda à Organização das Nações Unidas. Quem o viu e quem o vê.


Não era, por acaso, este senhor que há uns meses pouco se importou com esta organização? Não era, por acaso, este senhor que há uns meses aparecia com provas cabais (leia-se verbais) da existência de armas de destruição maciça no Iraque? Não é, por acaso, que hoje, malogrados os esforços castrenses, a guerra, que alguns profetizam ter terminado, pelos vistos ainda não acabou, mas que este senhor, num puro exercício hollywoodesco, aterrando no porta-aviões Lincoln ao largo de Los Angels, qual Tom Cruise em “Top Gun” – mais parecia uma sequela de “Ases pelos Ares”, anunciou o fim do conflito e a vitória da coligação anglo-americana? Não é, por acaso, este senhor que está a esburacar a economia norte-americana, que tão anafada tinha herdado do sucessor?, um dos melhores que os E.U.A. conheceu.
Não é, por acaso, que G.W.B. tem descido na popularidade. Não é, por acaso, que a sondagem que a CNN encomendou dá a vitória ao General Wesley Clark em confronto directo com o actual inquilino da Casa Branca, tendo o militar, que liderou as tropas da NATO nos Balcãs (1999), poucos dias de campanha em relação aos outros candidatos democratas e ao próprio Presidente que já anunciou a sua recandidatura.
Não é, por acaso, que G.W.B. pode perder uma eleição prevista como fácil. A História é fértil em repetições, esperemos que o resultado de 1992 aconteça 12 anos depois.
CMC
9/23/2003 07:34:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)



segunda-feira, setembro 22, 2003
 
Vulcões que se consomem

VulcãoP.P. está a menos de uma semana do Congresso do partido que lidera. Agora, que o seu grande objectivo está cumprido, o CDS é parte integrante do Governo de Portugal, a mesma ambição de M.M., no último Congresso, realizado no mês de Janeiro de 2002, assumindo-se claramente como o único capaz de fazer o acordo com o PPD, o que poderia conduzir novamente o partido do Centro Democrático Social ao Poder em Portugal, visto que P.P. tivera a sua oportunidade em 1999, aquando da liderança de M.R.S. e falhou, sobretudo por que foi o próprio P.P. a exterminar a nova AD na célebre entrevista cedida a Margarida Marante.
Neste momento, como se pode identificar o cunho do partido de P.P. no país e no seio da Convergência Democrática? A esta questão, o líder do partido do Largo do Caldas deu a sua resposta na entrada do novo ano político: radicalizar, por que a protuberância sobressai e distingue-se da linearidade. É preciso marcar presença. Seja-se vulcão que espaçadamente larga a sua lava, deixando a sua marca. Mas, P.P. sem querer, ou mesmo com querer, não é o Vesúvio Le Pen ou o Tambora Haider.
O caminho escolhido pelos actuais responsáveis em nada é fiel aos pais fundadores do partido democrata-cristão português. Ideologicamente falando, o que à Direita de P.P. falta é precisamente o que a Direita de M.M. tem em excesso. Mas, um corre pelo Poder e o outro pelos ideais.
P.P. esquece-se que a lava queima tudo à sua volta, mas também queima quem lança a torrente. Aos poucos, neste momento com mais velocidade pois o Poder desgasta, P.P. serve-se em lume brando. Há quem esteja à espera de o ver tisnado, e das duas uma, ou é o sufrágio que o queima ou são os parceiros de coligação, por que ainda há muitos que não apagaram da sua memória as fatídicas sexta-feira de noventa.
CMC
9/22/2003 10:54:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
O dia sem carros em Lisboa foi uma vergonha

O dia sem carros de hoje (que não existiu – pelo menos em Lisboa) vem comprovar a medíocre prestação do Governo na matéria de planeamento urbanístico, ambiente e território. tricicloQuem, no início da Legislatura, muda o ministério do Ambiente, para ministério das Cidades, deve ter consciência do mal que anda a fazer.
O dia sem carros em Lisboa foi uma vergonha, ninguém sabia da sua existência, porque de facto não houve dia sem carros. Aliás os carros continuaram a ser muitos, e até pareciam mais.
De salientar, pela positiva, a excelente ideia da Carris e do Metro de ter as viagens de hoje grátis. Pena que os taxistas não fizeram o mesmo.
A decisão de fechar 2 ou 3 ruas de Lisboa roça o ridículo. Pedro Santana Lopes no seu melhor! Pena que não se tenha lembrado de fazer um cartazes - para continuar a poluir a cidade visualmente - com os seguintes dizeres:
“Já reparou, Lisboa continua poluída”
“Já percebeu que Lisboa vai ter mais carros depois do túnel construído”
“Já notou, andar de transportes público ainda é “out
“Quem me tira o meu Mercedes, tira-me tudo”
“Já conseguiu perceber que somos uma cidade de terceiro mundo a nível de transportes“
Enfim…o costume.
A direita em matéria de Ambiente, tal como na Cultura, deixa muito a desejar.
Como diz o outro: “É a Economia estúpido!”
FG
9/22/2003 04:28:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
JPP

Mais um comentador

José P.P. iniciou ontem os seus comentários dominicais. Pareceu-me estar com pouco à vontade no novo habitat. Nisso, reconheça-se, o parceiro da TVI, também fruto da experiência, demonstra um tu cá tu lá com as câmaras, mesmo que a maior parte do tempo esteja sempre em contacto visual com o jornalista de serviço. Mas, regressando a José P.P., algo o diferencia dos outros comentadores, o computador. Demonstrando algum receio de a maquineta não funcionar, pelo menos ao ritmo da conversa – tique que com o tempo certamente perderá – o diálogo com a jornalista Clara de Sousa acabou por ser interessante. De um ‘blog’ a Cervantes, sem esquecer de adornar a conversa com algumas pinturas, mencionado o facto de um grande avanço da ciência espacial estar a dias de desaparecer, passando pela análise dos cartazes que a C.M.L. tem inundado a cidade, o tempo utilizado por José P.P. acaba por ser balsâmico.
A intervenção de M.R.S. começou muito antes de José P.P. e terminou muito depois do autor do ‘blog’ escarpado.
José P.P. é directo, poupa a retórica, algo que o veterano da TVI faz questão de exibir, e os temas abordados, a crer pelo primeiro dia de comentário, são despretensiosos e interessantes.
Adquirido o calo televisivo, sou levado a crer que os minutos de José P. P. serão apelativos àqueles que não apreciam o Professor.
CMC
9/22/2003 03:13:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Sem Carros- Visão

Dia Europeu sem Carros

Pelo Público de ontem ficámos a saber que o Governo informou que hoje não é feriado.
A porta-voz do Ministério das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente justificou assim o facto de só a Praça do Município (Câmara Municipal de Lisboa) e a Rua do Século (onde se localiza o Ministério) estarem vedados ao trânsito.
Então Sr. Presidente da Câmara, onde está o cartaz:
Já reparou que o dia Europeu sem carros é um dia de engarrafamentos como todos os outros? Fui eu que fiz.
LT
Nota: Hoje, 22 de Setembro, o Metro e a Carris são de borla.
9/22/2003 12:01:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)



domingo, setembro 21, 2003
 
CCB

A tanga de Viriato

Fui ao C.C.B. ver a exposição «Pedro Proença – Os Lusíadas» e, qual não é o meu espanto, reparo num dos quadros, no VII canto (“Os Lusíadas” têm X cantos, não haja confusões, como a que o senhor de Boliqueime fez há uns anos) e vejo Viriato com uma indumentária igual àquela que o actual Governo colocou aos portugueses, de tanga. Coincidência? Estamos de regresso ao tempo de Viriato? Os seus companheiros de tela, Ulisses e Luso, pelo menos, têm um traje pintado mais digno.
Tanga à parte, bem queríamos, mas este Governo ainda está em funções, recomendo uma passagem pelo Centro Cultural de Belém para ver uma magnífica exposição que está patente ao público até ao próximo dia 3 de Outubro, tendo a/o visitante apenas de entrar sem pagar. A entrada é gratuita.
No próximo sábado, com o “Expresso”, sai o primeiro canto da obra-prima de Luiz Vaz de Camões, a não perder. Completando este ano 30 anos de vida, ficam os parabéns ao “Expresso”, em especial ao seu fundador, Francisco Pinto Balsemão.
É hora de ir rever “À Espera de um Milagre”, um filme que tive a oportunidade de ver no Cinema São Jorge, antes de este fechar – primeira vez. Felizmente, que antigo executivo camarário, liderado por João Soares, após um esforço financeiro, conseguiu que as portas abrissem de novo, devolvendo este imponente espaço à Avenida da Liberdade, afinal, o interesse da cidade estava em primeiro lugar. Agora, com os novos responsáveis de direita, o São Jorge conhece novamente o sabor do vazio – segunda vez. Ainda há quem pense (diga) que há um projecto para a cidade.
CMC
9/21/2003 10:58:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Bola
Porto - Benfica
Porto Porto


9/21/2003 05:50:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Antes do mais:
A Telepac é uma das mais deficientes empresas, (a par da que nos fornece o serviço (EUA pago) de comentários), que se pode encontrar no mercado mundial de telecomunicações. É uma vergonha que para actualizar a sua prestação de serviços os indisponibilize. Todos os erros e mal funções deste Blog (entretanto já resolvidos) ficaram a dever-se à incompetência de uma empresa (Telepac -Telecom PT) que não consegue assegurar um serviço (24/24 horas) acordado com os seus Clientes (e diz-se esta, uma empresa certificada em qualidade ISO)
O E-mail recebido:
-"De forma a prestar um serviço cada vez melhor, iremos realizar durante o fim-de-semana intervenções técnicas que implicam indisponibilidade temporária de alguns serviços. Os serviços de alojamento partilhado da Telepac serão afectados ficando o seu alojamento inacessível entre as 0:00 e as 12:00 horas do próximo dia 21 de Setembro. Lamentamos eventuais incómodos que a situação possa causar mas contamos com a sua compreensão. Com os melhores cumprimentos, Gestão de atendimento."
(Alterado o texto inicial, devido à (entretanto) retoma normal dos serviços)
Nota importante: Recebemos hoje, dia 2003-09-27 o seguinte E-mail assinado por André Pires do DSCQ da Telepac:
"Venho por este meio confirmar a emissão de um crédito referente a 12 Horas da impossibilidade de acesso ao seu alojamento UNIX. O crédito será emitido na factura que irá ser emitida em Novembro referente ao mês de Outubro.
Atentamente
"
A DSCQ da Telepac está de parabéns! Não é todos os dias que um serviço português demonstra ser de qualidade.


Sgt. Peppers


Carimbadelas de Liverpool IV

Existe Oposição.

ANS escreve um longo texto no Carimbo, a partir das terras de Sua Majestade, onde John, Paul, George e Ringo ficaram mais famosos (diziam eles) que "Cristo".
Talvez embalado pelo Yellow Submarine (na altura ainda não havia o "Orange cherne", nem PP tinha tido a ideia de os comprar - os submarinos) perdeu-se em milhentas descontextualizações e frases soltas para concluir:
"Ou seja, não há oposição".
Antes do mais, quero referir que nada de pessoal tenho contra ANS (que só conheço de ler aqui na "Blogolândia" e com o qual muitas vezes tenho estado de acordo, muitas até, pelo conhecimento específico revelado nas matérias que aborda (por exemplo no campo da engenharia)) (duplo parêntesis).
Quando se mete em política, o nosso "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band" deixa-se escorregar perigosamente para "a little help from my friends" e é aquilo que se vê.
Caro ANS
Se o Carimbo tivesse comentários, tinha-me evitado muito trabalho porque, com meia dúzia de palavras, era possível dizer-lhe que, pelo conteúdo do seu texto, fica provado o contrário da sua conclusão.
O PS tem programa.
O Partido Socialista é oposição. (Foi o ANS que transcreveu, no seu texto, muito daquilo que tem sido a oposição do PS). Que nos diga que a Comunicação Social não transmite essa oposição, estamos de acordo, mas, quanto a isso, nada há a fazer.
Eduardo Ferro Rodrigues é o alvo? Sabemos que não.
O alvo é o PS.
Este PS que todos os dias demonstra que PS e PSD não são a mesma coisa e que não é verdade que "tanto faz votar num ou noutro".
O PS com Ferro Rodrigues é perigoso para o PSD. É fácil perceber porquê:
- É o PS que cumpre a solidariedade.
- É o PS que combate a fuga aos impostos.
- É o PS que combate a irresponsabilidade (já sabemos que a política actual é deixar arder até que nada mais exista para arder, atingindo assim o objectivo de que o problema se resolva por si).
- É o PS que quer que se cumpram os preceitos constitucionais em matéria de relações internacionais. *
- É o PS que homenageia com a ONU a memória de Sérgio Vieira de Mello que morreu ao serviço dos direitos humanos na sequência de actos de mentecaptos que nos Açores decidiram dar caça a um mentecapto que reinava na Mesoptânia.
- É o PS que tantas e tantas vezes tem apresentado na Assembleia da República alternativas ás políticas de terra queimada do actual governo, onde a direita radical (Voz Presa, Voz Solta - O JPP nunca mais põe os link's como deve ser) marca terreno e submete a vontade de um lider fraco, à sua estratégia.
- É o PS que defende a ciência e a formação e que quer os seus cientistas e técnicos em Portugal e ao serviço dos portugueses em vez de os mandar para o exterior em busca de trabalho.

Caro ANS (lamento, mas não sei o seu primeiro nome),
quando pela primeira vez pisei as terras de Sua Majestade, foi por Dover e porque não tinha libras suficientes, fiquei retido em Folkstone e fui repatriado para Calais porque, disseram os serviços de Sua Majestade, pretendia ir para Inglaterra estudar informática.
O meu caro ANS entra na Grã-Bretanha com um passaporte que lhe permite o canal directo Europeu e não tem de responder diante de ninguém.
Foi o PS que conseguiu isso.
O ANS é um cidadão europeu ao contrário do que um dos parceiros da coligação do actual governo pretende.
Este texto já vai longo, muito mais do que aquilo que lhe pretendia retorquir (e muito mais lhe poderia dizer). Foi escrito sem demagogia.
Foi escrito com o coração.
LT
* ( Transcrição:
Artigo 7.º
(Relações internacionais)

1. Portugal rege-se nas relações internacionais pelos princípios da independência nacional, do respeito dos direitos do homem, dos direitos dos povos, da igualdade entre os Estados, da solução pacífica dos conflitos internacionais, da não ingerência nos assuntos internos dos outros Estados e da cooperação com todos os outros povos para a emancipação e o progresso da humanidade.
2. Portugal preconiza a abolição do imperialismo, do colonialismo e de quaisquer outras formas de agressão, domínio e exploração nas relações entre os povos, bem como o desarmamento geral, simultâneo e controlado, a dissolução dos blocos político-militares e o estabelecimento de um sistema de segurança colectiva, com vista à criação de uma ordem internacional capaz de assegurar a paz e a justiça nas relações entre os povos.
3. Portugal reconhece o direito dos povos à autodeterminação e independência e ao desenvolvimento, bem como o direito à insurreição contra todas as formas de opressão.
4. Portugal mantém laços privilegiados de amizade e cooperação com os países de língua portuguesa.
5. Portugal empenha-se no reforço da identidade europeia e no fortalecimento da acção dos Estados europeus a favor da democracia, da paz, do progresso económico e da justiça nas relações entre os povos.
6. Portugal pode, em condições de reciprocidade, com respeito pelo princípio da subsidiariedade e tendo em vista a realização da coesão económica e social e de um espaço de liberdade, segurança e justiça, convencionar o exercício em comum ou em cooperação dos poderes necessários à construção da união europeia.
7. Portugal pode, tendo em vista a realização de uma justiça internacional que promova o respeito pelos direitos da pessoa humana e dos povos, aceitar a jurisdição do Tribunal Penal Internacional, nas condições de complementaridade e demais termos estabelecidos no Estatuto de Roma.
Artigo 8.º
(Direito internacional)

1. As normas e os princípios de direito internacional geral ou comum fazem parte integrante do direito português.
2. As normas constantes de convenções internacionais regularmente ratificadas ou aprovadas vigoram na ordem interna após a sua publicação oficial e enquanto vincularem internacionalmente o Estado Português.
3. As normas emanadas dos órgãos competentes das organizações internacionais de que Portugal seja parte vigoram directamente na ordem interna, desde que tal se encontre estabelecido nos respectivos tratados constitutivos.)
9/21/2003 03:47:00 da manhã . - . Página inicial . - .




 
good bye, Lenin

Tschüss Lenin

“Os cidadãos da nossa república não temem a insegurança material, o desemprego, a inflação e outros flagelos do capitalismo. Ignoram a angústia do amanhã. A nossa juventude tem todas as possibilidades de viver uma vida rica, militante e criadora. Criou-se assim no nosso país uma atmosfera de optimismo revolucionário e de grande actividade social. A superioridade do modo de vida socialista, dos seus valores humanistas sobre a sociedade dominada pelos monopólios torna-se cada vez mais evidente.
A vida na República Democrática Alemã encontra-se cada vez mais enriquecida pelo desenvolvimento da democracia socialista. A democracia socialista, cujo traço essencial é a supressão da exploração capitalista, caracteriza-se pela participação cada vez mais activa dos trabalhadores na gestão e na planificação da produção e da sociedade, pelo exercício de todos os direitos fundamentais da pessoa.
… É particularmente estreita a fraternal aliança com a URSS, que deu à nossa revolução uma protecção eficaz contra todos os ataques da reacção internacional.”

Erich Honecker
Em Junho de 1976 (o excerto reproduzido é retirado da intervenção de Erich Honecker, em Berlim, “Pela Salvação da Paz e da Segurança na Europa”), o déspota da R.D.A. estava longe, muito distante de pensar que estas palavras cairiam por terra, assim como caiu o Muro em 1989.
“Good Bye Lenin” é um filme delicioso. Somos transportados para os anos de transição, a queda do Muro de Berlim, o fim da DDR.
Ao ver o filho ser detido pelas forças policiais, uma crente do regime tem um enfarte e fica em coma durante o período de mudança. Quando desperta, do estado comatoso, dos longos oito meses, o esmerado filho esforça-se por manter viva a DDR que a sua mãe sempre apreciou, depois do marido ter deixado a família, para que esta não tivesse um novo choque.
As diferenças políticas, sociais, económicas, culturais, entre o Leste e o Oeste, e algumas passagens extremamente simbólicas, como a estátua de Lenine a ser transportada por um helicóptero, transmitindo a ideia, quando passa pela mulher, de estar a despedir-se de uma camarada que, naquela rua, incrédula, vê a grande referência desaparecer numa esquina ao mesmo tempo do pôr-do-sol, juntarmos o magnífico trabalho musical, mais um depois de “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”, de Yann Tiersen, temos cerca de duas horas bem passadas.
CMC
P.S. - Continuo a reparar como se tem anulado uma das personalidades mais importantes do final do passado século, Egon Krentz.
9/21/2003 02:23:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Beatles


Carimbadelas de Liverpool III


Imagine there's no heaven, it's easy if you try
No hell below us, above us only sky
Imagine all the people living for today

Imagine there's no countries, it isn't hard to do
Nothing to kill or die for, and no religion, too
Imagine all the people living life in peace

You may say I'm a dreamer, but I'm not the only one
I hope some day you'll join us, and the world will live as one

Imagine no possessions, I wonder if you can
No need for greed or hunger, or brotherhood of man
Imagine all the people sharing all the world

You may say I'm a dreamer, but I'm not the only one
I hope some day you'll join us, and the world will live as one
John Lennon
9/21/2003 12:40:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)



sábado, setembro 20, 2003
 

Leão













9/20/2003 11:15:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Beatles

Carimbadelas de Liverpool II

Andam por aí uns senhores, no exercício legítimo do seu direito de opinião, a zurzir o Partido Socialista e o seu Secretário-Geral. Não me causa estranheza ou incómodo até porque, se eu sou militante, esses senhores têm o direito de não o ser e de efusivamente manifestarem as razões porque não o são. É até lisonjeira a dedicação com que zurzem. Seria de esperar, pelo menos a história assim o parecia determinar, que os cidadãos criticassem o Governo na sua actuação. Esse sim tem enormes e óbvias responsabilidades. Mas não. Hoje soi criticar-se a Oposição, que em tempos de maioria absoluta, tem pouca possibilidade de fazer valer as alternativas que apresenta passo-a-passo, no Parlamento.
Eduardo Ferro Rodrigues é um homem de muito valor, foi um brilhante governante e foi a escolha dos militantes do PS. Os outros podem-no lamentar e, para tal, basta inscreverem-se na sua estrutura local a tempo de no próximo Congresso Nacional exercerem o seu direito de voto. A diferença entre o Ferro Rodrigues pós-Guterres e o Fernando Nogueira pós-Cavaco é que, findo mais de um ano na Oposição, o primeiro ainda é líder do Partido. Um foi candidato a Primeiro-Ministro, o primeiro foi candidato ao que desse e viesse. Manter-se-á firme e será candidato a Primeiro-Ministro novamente, depois de umas eleições europeias contra uma coligação contra-natura e depois de umas autárquicas de consagração dos autarcas socialistas.
Bem haja, por zurzirem... Assim confirmamos que temos um líder forte.
AM
9/20/2003 06:16:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Beatles

Carimbadelas de Liverpool I(1/2)

Parece de propósito, mas é-nos absolutamente alheio o facto dos comentários estarem off.
Ainda assim serve como demonstração de que um Blog sem comentários (prática comum nos Blog's de direita) é tão interactivo como um jornal em papel.
Por impossibilidade absoluta não poderei, neste momento, argumentar contra o que o Carimbo escreve. Talvez mais logo, talvez amanhã.
Para já fica a minha concordância com a defesa feita pelo Carlos (CMC) e a ideia que, embora disfarçado no ataque a Ferro Rodrigues, o tipo de discurso do Carimbo (e de outros) é, sempre, contra a direcção do PS, seja ela titulada por quem for.
Até breve. Voltarei ao assunto.
LT
9/20/2003 02:53:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Beatles

Carimbadelas de Liverpool I

Mais do que oposição, existe uma alternativa (não alternância)
Andava eu por estes mares virtuais dos Blog’s, recorrendo à lista que o “Ter Voz” disponibiliza na sua coluna da esquerda, actualizando, na medida do possível, a leitura que nem sempre me é possível durante a semana, quando deparo com um companheiro destas aventuras virtuais bloguísiticas que é proprietário de um carimbo. Assim que a página abriu vi várias referências a textos do Ter Voz, rapidamente a minha curiosidade despertou. O que queria dizer este nosso amigo? (Devo desde já confessar que não sou frequentador assíduo do “Carimbo”)
Resumindo, por que ANS (assim se chama o nosso estimado companheiro de “Blog”) escreveu um longo texto, cheio de ligações, daqueles bem agradáveis de ler num ecrã (ainda no passado dia me penitenciei pela extensão de um artigo que escrevi, mas enfim, adiante! – se digo avante ainda me cola ao PCP), Portugal não tem oposição, Ferro Rodrigues está a prazo na liderança do PS e algo mais, em suma, sintetizando: pobres socialistas não sabem o que fazem, mas descansem, para bem de todos os cidadãos de Portugal há um Governo que governa, sem se esquecer de lembrar que os seis anos de liderança do PS foram um desastre.
O exercício que ANS faz é interessante. Dispara em todos os sentidos, esperando que algo atinja Ferro Rodrigues e/ou PS. As dúvidas existencialistas, pelo menos do nosso caro ANS, de Ferro Rodrigues ser ou não ser Secretário-Geral. Claro que Eduardo Ferro Rodrigues é o Secretário-Geral do PS, por muito que não lhe agrade. Mas se o ANS não levar a mal a escolha da grande maioria de militantes, cerca de 96%, que escolheram, por voto secreto e directamente, não por intermédio de delegados ao Congresso, ter Eduardo Ferro Rodrigues como Secretário-Geral do Partido Socialista, eu agradeço a sua bondade. Porém, ANS, está no seu direito de considerar que o Zé ou a Maria, lembra-se do casal?, desempenharia melhor o cargo ocupado pelo antigo Ministro dos governos socialistas.
Não há oposição? Deve andar com as cassetes de vídeo trocadas. Quem amuou e disse que não falava mais no hemiciclo não foi Ferro Rodrigues, deixando a interpelação ao governo a cargo do líder da bancada parlamentar, o actual Presidente da Câmara Municipal de Cascais. Nem precisa de ver, ANS, basta ouvir. A voz e as propostas do PS estão presentes, a maioria é que as rejeita, nem lhes passa cartão, não é o cartão que o PS tinha proposto para simplificar a quantidade de cartões que temos de utilizar. Pois, é aqui que pretende que eu omita, por que para si não há oposição. Lamento, mas contra factos, os argumentos...
Caro ANS, podia ter poupado algum trabalho e tempo, só para denegrir Ferro Rodrigues e o PS e os seus Governos e elogiar o PPD, piscando ao de leve o olho a Bagão Félix. O senhor caiu-vos no goto. Ainda não percebi muito bem porquê, mas lá terão as vossas razões.
Se me permite citá-lo: “Para o Ter Voz, é uma surpresa constatar que os cidadãos afinal discutem o que se passa no interior do PS”. Reparo que tem bom humor, o que é óptimo. Agradeço a sentença de La Palisse!
No PS, desde os tempos da liderança de Mário Soares até hoje, com Ferro Rodrigues, que a nossa grande bandeira é a Liberdade. Pense o que pensar, diga o que disser, ache o que achar, o ANS é livre, mas não se esqueça, a Liberdade implica responsabilidade, como diria Bernard Shaw.
Espero que continue desperto, atento, participativo, e até mesmo, combativo. Se me permite um conselho, que lhe peço emprestado à sua citação, não ferreteie, marque.
Estou certo de que a qualidade pode ser a marca do Carimbo, se aliar a Liberdade, tão estimada por todos nós e que felizmente o ANS faz questão de a usar, à responsabilidade, valor nobre e digno de qualquer cidadão que se preze.
CMC
9/20/2003 05:49:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)



sexta-feira, setembro 19, 2003
 
A camada de açúcar
O Secretário de Estado, Feliciano Barreiras Duarte, vem colocar alguma água na fervura (“Público” 19/09/03), tentando anular as exasperadas palavras do Presidente do partido com sede no Largo do Caldas e seu colega de Governo, a quem, pelos vistos, o Secretário de Estado, não tem muita, senão mesmo nenhuma, ligação.Bolo de laranja
O Governo português não é xenófobo. O Governo português não se quer iludir com a questão imigração. O Governo português pretende que os emigrantes tenham condições. Ainda bem que um membro do actual Governo reconhece que “a imigração é positiva para o país”, afinal, os emigrantes contribuíram para este país, no ano de 2001, com mais de 65 milhões de contos, segundo o Secretário de Estado. Importa salientar que este político entende, e muito bem, que “será demagógica uma visão extremista que defende que Portugal pode receber todo o tipo de imigrantes.”
Nem oito, nem oitenta. Todavia, a questão coloca-se: que Governo é este? Uns dizem alhos, outros dizem bugalhos. Conceberão, os governantes deste país, o poder governativo como um bolo? Ora toma lá a tua fatia, ora dá cá a minha? Fica com a cereja, que eu fico com a camada de açúcar. Deve ser isso, a camada de açúcar, a parte que o senhor que lidera o partido do Largo do Caldas quer e é.
Aspecto inoxidável. Tenta passar-se por doce, para dentro (Governo) e para fora (país). Como é facilmente perceptível, a camada de açúcar cobre todo o bolo, no caso, esta camada, cobre todo o governo. A cereja, que na água é cherne, rola sobre a superfície azul e amarela que acabrunhou o doce de laranja, já de si azeda. Esta camada de açúcar que não é doce, é viscosa, mas só na massa do Poder.
A dosagem está errada. Abusaram do açúcar, quando ele tinha de ser diminuto e o doce de laranja está estragado. O prazo de validade terminou em 1995. Como podem dar ao público algo que já foi comestível e hoje já não deve ser comercializado por colocar em causa a saúde pública? O Zé, o do Rafael Bordalo, é que fica com indigestões e ainda leva com o seu gesto, por se queixar.
CMC
9/19/2003 07:24:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Eça de Queirós





"Lisboa é talvez, em todo o vasto Universo,
a cidade onde a opinião pública exerce menos influência."



Eça de Queirós in "Uma campanha Alegre - As Farpas"
9/19/2003 01:08:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Túneis Lisboa

As grandes opções em Lisboa e a Opinião Pública

Quando, há pouco mais de 2 anos, o então Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, João Soares, pretendeu construir um ascensor de acesso ao castelo, a Opinião Pública manifestou-se e houve encontros promovidos por várias entidades, entre elas, as Ordens dos Arquitectos e dos Engenheiros em que o assunto foi francamente discutido. João Soares, reconhecendo haver uma generalizada discordância da sua ideia, teve a atitude democrática de desistir dela.
Agora, na questão do túnel das Amoreiras, a Opinião Pública manifestou-se de novo: a generalidade dos técnicos e dos cidadãos com um mínimo de bom senso que se debruçaram sobre o assunto e a própria Assembleia Municipal consideraram que a obra era um erro e que teria uma influência nula, ou mesmo negativa, sobre o trânsito em Lisboa. Santana Lopes, no entanto, indiferente a críticas que deviam ser ouvidas, entendeu leva-la para diante.
Teria sido desejável que as Ordens dos Arquitectos e dos Engenheiros tivessem dado ao assunto a atenção que deram ao anterior. Mas, sobretudo, é importante que olhem para o futuro e organizem encontros em que possam ser discutidas as opções que vão necessariamente ser tomadas e vão marcar profundamente o futuro de Lisboa, nomeadamente, a escolha do local da futura estação do TGV e o prolongamento da linha vermelha do metro, até ao Aeroporto, ou para o lado de Sacavém. O facto do bastonário da Ordem dos Engenheiros ter sido nomeado recentemente presidente da empresa do metro é uma razão adicional para que estes assuntos não deixem de ser debatidos na Ordem.
António Brotas
9/19/2003 01:05:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Jorge Sampaio



Embora com um dia de atraso,
Parabéns Sr. Presidente

Como sabe, pensamos que sabe, gostamos muito de si. Porque é um bom Presidente, porque é um homem de grande qualidade, porque, para além do mais, é um militante da nossa Secção.
Também nós nos preocupamos com as preocupações que revelou ao Público.
Continuamos a contar com a sua fleuma, coragem e bom senso.
Desejamos-lhe ânimo e saúde.
Esperamos que os trinta e seis anos que faltam para o seu centenário lhe corram da melhor forma. Nessa altura faremos uma festa de arromba.
LT
9/19/2003 11:04:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Vaclav Havel

O Poder dos sem Poder

Coloquei no Independências a carta que o O Público (18/09/03) publicou, da autoria de Václav Havel, entre outros, sobre a tirania cubana.
É de Václav Havel, o dramaturgo, o resistente, o político, uma das figuras mais interessantes e fascinantes que a Política mundial teve nas últimas décadas, o seguinte excerto, a propósito do debate que se gerou neste espaço:
A camisola da «vida na mentira» é feita de um material espantoso: enquanto recobre a sociedade inteira, parece talhada em rocha. Mas, no momento em que alguém esburaca a camisola num só lugar que seja, em que um único indivíduo grite «o rei vai nu», desde o instante em que um só jogador viole as regras do jogo e o denuncie como tal, então tudo aparece sob uma outra luz e toda a camisola dá a sensação de ser papel e de começar a rasgar-se e a desfazer-se em pó de maneira irreversível.
CMC
9/19/2003 01:49:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (3)



quinta-feira, setembro 18, 2003
 
Anda Pacheco

O(s) dilema de José (e) P.P.
O Vice-Presidente do Parlamento Europeu, ilustre “bloguista”, considera que o PS implodiu, “está impotente” e “a responsabilidade é exclusiva da direcção de Ferro Rodrigues.”
Ora, é caso para recuar um pouco no tempo e recordar o acontecimento político do dia 23 de Agosto. Em Portimão, o PS dava o pontapé de saída para a nova temporada política. O que disse o líder socialista? Estamos a ser governados por uma minoria radical. Um conjunto de pessoas que não obteve nas urnas a legitimidade de comandar o leme da nação. Estamos perante um Governo que assobia enquanto o país arde. Temos uma taxa de desemprego que aumenta.
Nada disto, um mês depois, mudou. A minoria governa a bel-prazer, o país ainda arde, como é que isto é possível depois do trágico mês de Agosto?, e o desemprego não deixa de aumentar.
Na altura, disseram que Ferro Rodrigues estava a delirar. Passou-se. Não tinha nada para dizer e atacou o elo mais fraco, que é precisamente o elo mais forte no seio do Governo. Passadas poucas semanas, as palavras do próprio Presidente do partido do Largo do Caldas não só comprovaram as palavras de Ferro Rodrigues, de que é um partido radical que domina, mas também corroborou a ostentação da prepotência com que se Governa o país. Demagogia em catadupa. Apresentação de soluções miraculosas que, bem vistas as coisas, são verdadeiros atentados à coesão social.
José P.P. criticou no seu escarpado “blog” a pessoa que, por coincidência, tem umas iniciais iguais às suas últimas, por ser um “Le Penzito lusitano”. No dia 23 de Agosto, na bela cidade algarvia de Portimão, Eduardo Ferro Rodrigues já tinha alertado os portugueses de quem é que está a mandar e tramar o país. Quem implode, mais dia, menos dia, é Portugal, se estes senhores continuarem nos lugares que ocupam.
CMC
9/18/2003 07:47:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Racismo

Mentiras, cinismo, xenofobia e racismo

No editorial do Público de hoje, escreve José Manuel Fernandes:
(...) "Por outras palavras: os 450 mil imigrantes que acolhemos entre nós não só nos ajudaram a construir estradas e pontes, a limpar as nossas casas ou a realizar colheitas agrícolas, como contribuíram para que a diminuição do défice." (...)
O relatório Migration and Social Integration of Migrants, publicado pela Comissão Europeia no âmbito do programa europeu Targeted Socio-Economic Research (TSER) em 2001-2002, conclui não existir correlação entre a imigração e o desemprego e criminalidade na Europa. (Observatório da Imigração)
O Estudo de impacto da imigração em Portugal nas contas do Estado promovido pelo ACIME sob a coordenação de Roberto Carneiro e realizado por André Correia d’Almeida conclui:
(...)"Apesar de muitas vezes se associar a presença das comunidades estrangeiras em Portugal, ou noutro qualquer país, prevalentemente a situações de parasitismo social, como se de um fardo se tratasse, há aparentemente um benefício líquido para as contas do Estado."(...)
No editorial, conclui JMF:
"Mas se a maioria dos portugueses não conhece estes números, os responsáveis políticos deviam conhecê-los. A começar pelos líderes dos principais partidos. E, entre estes, pelos que estão no Governo. O que esse não parece acontecer com Paulo Portas."
Não poderia estar mais de acordo.
Se é verdade que a regulação dos fluxos migratórios tem de ser uma acção deste Governo (já a tinha sido nos Governos anteriores) a argumentação populista proferida por Paulo Portas insere-se na campanha de mentiras (discurso da Tanga, fundamentação da invasão do Iraque, etc.) sendo no caso da imigração um mero disfarce das ideias xenófobas e racistas que caracterizam uma certa direita que muitos insistem em não querer catalogar como radical.
LT
9/18/2003 02:22:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
JS

"Motes"
Apesar de andar entretido em picardias com o CPH algures neste Blog, venho lançar duas questões para o ar, assim como quem dá o "mote" à discussão.
1. Fala-se tanto de António Vitorino para lider do PS. Quem concorda? Quem acha que será o líder certo? Quem acha que Ferro Rodrigues tem mais a ver com o PS do que com António Vitorino?
2. Sempre vão existir eleições para a JS/ FAUL? Sei que já existe um candidato a prefilar-se: Manuel Lage. Será que vão avançar outros? Será que não? O que pensam disto?
FG
_________________
A bem da igualdade de direito de informação existe outra candidatura. Rita Neves.
Jiminy Cricket (administrador do Blog)
9/18/2003 11:28:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)



quarta-feira, setembro 17, 2003
 
As manigâncias* de P.S.L.
O princípio da noite de terça era muito aliciante, do ponto de vista televisivo. O Futebol Clube do Porto jogava com o Partizan de Belgrado e o jogo era transmitido em directo pela RTP, Santana Lopes iniciava os seus comentários semanais na SIC e a TVI tinha o seu comentador das terças, Miguel Sousa Tavares, sem esquecer a presença da apresentadora mais peculiar do nosso universo jornalístico, Manuela Moura Guedes. Colocou-se a dúvida leninista “que fazer”?, no caso, que escolher. PSL
RTP: como a partida de futebol começava mais cedo do que os telejornais, veja-se os primeiros pontapés da equipa azul e branca, depois, com o desenrolar do jogo, logo se vê o que se ia ver, ou ficar no canal público, ou passar por Carnaxide e/ou Queluz sem sair do sofá.
O vício de dar trabalho ao comando foi mais forte.
TVI: Sousa Tavares, por que sabe o que diz, ainda que lhe chamem arrogante, convencido, vaidoso, e outras virtudes, não é uma personagem obrigatória só da sexta, nas páginas do “Público”, sempre que é possível, passa-se pela 4 e vê-se/ouve-se com atenção os comentários. As notícias que Queluz expõe não me agradam muito. Feitios!
SIC: Santana Lopes dava o seu pontapé de saída, como comentador. A curiosidade de ver o Presidente da autarquia alfacinha no canal de Pinto Balsemão.
Tudo se processou às pingas. Vi o F.C.P. a dominar e a ser dominado. Aqui e ali, entre uns paços de dança do indicador sobre o soalho do comando, apanhava os diálogos da TVI, Moura Guedes tem esse dom, não entrevista, debate, e Santana Lopes apareceria mais tarde, apanhava o comentário de Rodrigo Guedes de Carvalho. PSL
Sousa Tavares devia estar, naquela altura, mais preocupado com a projecção da RTP do que em analisar os temas que lhe eram submetidos, mesmo assim assisti ao seu colóquio com a esposa do director da TVI, Santana Lopes vi, fugazmente, o seu último, creio, comentário, a propósito do conflito israelo-palestiniano. Pareceu-me cansado. Os olhos apontavam em direcção ao tecto do estúdio, como se estivesse lá o seu ponto. As palavras eram arrancadas à mente a saca-rolhas e o discurso não tinha um cunho pessoal. Limitou-se a produzir as linhas editoriais dos jornais de referência.
Daqui a uns tempos deve arrepender-se, não da mudança de estação, para ele, Santana, foi melhor, sempre evita uma pessoa (José Sócrates) coerente e conhecedora dos factos, que nunca atirou as intervenções para o ar, do tipo falar só por falar, mas arrepender-se-á do dia. O domingo dá outra tranquilidade que a terça não proporciona. Enquanto que no primeiro dia da semana as horas matinais e vespertinas são calmas, no segundo dia de trabalho semanal, o peso do trabalho iniciado pela manhã acumula-se e o cansaço açambarca o físico, desgastando, inevitavelmente, o intelecto.
Ora, Santana Lopes é o Presidente da Câmara da capital. Ocupa um posto que não conhece folga. São 24 sobre 24 horas, sempre em permanência. Quer esteja nos Paços do Concelho, na Calçada do Carriche, ou em Pedrouços, o cargo presidencial está sempre em vigilância, seja meio-dia ou três da madrugada. Importa não esquecer as responsabilidades. O actual Presidente da C.M.L. tem a seu cargo 8 pelouros, o máximo que um dos seus companheiros de Vereação tem é 5.
As contas da gestão política estão a sair-lhe furadas. Ele só queria gerir o grupo e é ele que carrega com a equipa. Santana Lopes pensava chegar à capital e movimentar-se à vontade. Enganou-se. A cidade tem o piloto automático ligado. Não há um projecto global de cidade, apenas actuações esporádicas, a serem exploradas mediaticamente ao máximo. Não sendo ele, nem os seus colaboradores de imagem parvos, tentam fazer de um fenómeno particular a sua obra de regime. Os lisboetas já perceberam que os cartazes só colam mesmo nos respectivos placares. Todos já perceberam qual é a ambição de Santana Lopes, legítima, sublinhe-se. O senhor tem mais de 35 anos (artigo 122.º, C.R.P. – ando com a Constituição perto de mim, não vá o profeta do novo nacionalismo mandá-la queimar e depois a Pátria fica a sem “a voz dos seus egrégios avós”), por isso, é livre de ambicionar o cargo que representa a República Portuguesa. Se é o adequado, eu não o considero, mas respeito quem o possa desejar como tal. PSL
Por conseguinte, ao livrar-se de José Sócrates e para poder responder mais à vontade ao seu arqui-(ini)’a’migo Marcelo, Santana pagará a sua factura. A ambição de estar sempre presente, seja filmado, fotografado, visto, ouvido, seja lá de que maneira for, sair-lhe-á caro. Fisicamente, por que tem a C.M.L., tem o cargo de Vice-Presidente do partido, de cronista em vários jornais, comentador televisivo, entre outras responsabilidades; de imagem, por que o que aparece muitas vezes, e sem acrescentar nada de novo, cansa quem consome a figura.
Santana só tem, e quer defrontar, neste momento, um desafio e como ele é incómodo para o ex-autarca da Figueira da Foz. O desafio é o silêncio de Aníbal Cavaco Silva. Desfeitas as dúvidas, sagrando-se ou não como o candidato do partido liderado por Durão Barroso ao cargo presidencial, Santana pode, finalmente, regressar à tranquilidade pessoal. Há muito tempo emigrada.
Entretanto, é Lisboa que paga, por estes tempos, a factura da ambição pessoal do seu Presidente. Por muito que diga que a cidade o preocupa, ele só pensa num espaço do concelho que lidera, o palácio cor-de-rosa, situado na Praça Afonso de Albuquerque.
CMC
* Palavra da moda. Manigância no sentido de: manobra secreta e misteriosa, que de secreta e misteriosa nada tem.
9/17/2003 10:42:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
CDS
O Discurso!

Para os mais desatentos... Aqueles que apenas ouvem o que lhes interessa aqui vai uma nota!
Imigração e revisão da Constituição da República.
Estas foram os motes do discurso de Paulo Portas no passado dia 14, em Aveiro, dizendo que quer uma lei fundamental mais neutra e restrição na entrada de estrangeiros no País... Pelo menos enquanto durar a crise económica.
Analogamente, outros houveram que também só queriam anexar os territórios que por direito eram seus, afastando outras vontades mais ou menos evidentes!CDS
Mas que quer Paulo Portas?
O que o move realmente por trás da figura austera, mas marcadamente afeminada, transparecendo ambição e muito pouca honestidade?
O quer ele dizer com “a lei da República deve ser neutral porque ainda tem «muito o espírito do socialismo».”?
O que pretende ele fazer para levar a cabo aquilo que defendeu e definiu como uma “política de imigração restritiva (...) enquanto as dificuldades económicas forem o que são”?
O que pretende fazer aos milhares de imigrantes que se encontram no nosso país? Concentrá-los? Onde? Em Campos de trabalho restritivos, para que não possam fazer aquilo que mais nenhum português quer fazer?
Até quando e até onde vamos ver esta figura de braço direito “permanentemente” ao alto?
Sentinela
9/17/2003 06:04:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Bandeira do PS
PS - Partido Português

Prescindi do almoço para folhear alguns dos meus Blog’s de referência.
É uma actividade que por vezes substitui com eficácia, o bife com batatas fritas.
Ao jantar, vingar-me-ei.
Na ronda das leituras verifiquei, uma vez mais com agrado, a dedicação em tempo e esforço traduzida nas conjecturas e eventuais cenários de liderança do PS, feita por tantos não militantes ou sequer simpatizantes deste Partido.
O agrado advém do facto de isso revelar o interesse português pelo que se passa no Partido Socialista.
Embora não negue que possa ter preferências pessoais na escolha de um ou de outro líder para os outros Partidos, dificilmente me veria a elaborar tratados sobre qual dos militantes desses Partidos deveria ascender à respectiva liderança.
Menos ainda quando os processos eleitorais para essas lideranças estão encerrados e os actuais titulares se encontram em normal e efectivo desempenho de funções.
Aliás, se algum dos Partidos me pudesse levar a fazer essa análise, só poderia ser o PSD porque, em termos de poder, representa a alternância ao Partido Socialista.
Mesmo assim, dificilmente o faria por duas razões:
1.O PSD com este líder ou com outro, não me satisfaz como cidadão;
2.Se me identificasse com os princípios do PSD, então faria como faço com tudo o que me interessa na vida. Aderia ao projecto e assim inserido participava, de forma a ter alguma influência directa, nas escolhas das políticas e políticos.
Não quero com isto dizer que, por mero gozo de raciocínio, pelo desafio do quebra cabeças, pelo apetite do romance, recuse conjecturar sobre seja o que for.
Ficou-me de memória todo um emaranhado de argumentações que o Carimbo teceu no seu Post 84 (já havia antecedentes e argumentações diversas com outros Blog’s) concluindo com a profecia de que: - (...) durante os próximos anos, o PS estará muito mais preocupado com estas questões internas do que com o Governo do país. Como vivemos em democracia, perdemos todos. (...) - referindo-se aos diversos quadros que perfilou para a liderança do PS (que, como se sabe, não está em discussão interna).
Grande Partido este que tanta tinta (ou tecla) faz correr (ou pressionar), mesmo quando nada o justifica.
LT
9/17/2003 04:48:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Holly Ghost

O pior dos pecados

Iluminado pelo Espírito Santo, Bruno Sena Martins, brinda-nos com um texto arrematado em ironia introspectiva pelo método da interrogação.
Diz-nos dos efeitos desinibidores da fermentação, potenciados com vapores destilados.
Fala-nos da curva descendente provocada pelos excessos, proporcionadora de retrocessos em franca cura neoliberal.
Em sobressalto atira:
(...) Coisa curiosa, depois de cumprimentar os presentes e de me sentar, não é que eu começo a ouvir da boca do tal um trautear deveras suspeito? Pois bem, abismei, ele estava a cantar o Hino do PSD: "paz, pão e liberdade..." (...)
O avatar, língua de fogo, de tal forma o iluminou enchendo-o de sabedoria, que comparou o Golias cibernético ao David do leão, e, extasiado na bondade, deixou para trás a importância do pior dos pecados: - O fratricídio.
De novo Caím e Abel.
LT
9/17/2003 12:32:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Assembleia-geral da Secção
Agenda da Secção

Em fase de consolidação da agenda que será divulgada durante a próxima semana, levanto uma ponta do véu sobre as actividades mais relevantes que iremos realizar na Secção até ao final do ano.
Reabriremos o ciclo de debates e conferências no dia 23 de Setembro com José Sócrates e a análise da actual situação política.
Em Outubro, após a realização de uma recepção aos novos militantes inscritos, contamos com Vieira da Silva, para debater a política interna do PS e com Pina Moura, na altura da apresentação do Orçamento de Estado para 2004. Encerraremos o mês com uma tertúlia cultural animada por Manuel Alegre.
Iniciaremos Novembro com José Lello e o debate sobre o Euro 2004. Ficarão para meados desse mês uma sessão com os nossos autarcas das Freguesias de Benfica e São Domingos de Benfica e uma visita guiada aos bastidores da Assembleia de República. O final de Novembro será altura para a realização de acções de formação sobre poder autárquico. Acabaremos o mês com o jantar anual dos militantes da Secção que será simultaneamente a abertura oficial das comemorações do 30º aniversário da Secção de Benfica e São Domingos de Benfica. O nosso convidado de honra será o Secretário-Geral, Eduardo Ferro Rodrigues.
No início de Dezembro realizaremos a Assembleia-Geral Ordinária de militantes.
Não será coisa pouca, até porque, entre estas acções de maior impacto, muito trabalho terá de ser concretizado.
Da Direcção Nacional do Partido contamos com melhor compreensão para a dotação financeira da nossa estrutura de base.
Dos militantes esperamos, para além da participação activa nas acções agora anunciadas, a colaboração nos grupos de trabalho para preparação técnica e política dos combates eleitorais a realizar em 2004/5.
LT
9/17/2003 10:45:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
Blogolândia

Garfield

Nos últimos dias tem sobrado pouco tempo para Blog's, quase nos limitando à cosmética e ao agenda/desagenda inerentes às funções que desempenhamos no Ter Voz.
Tal como o Garfield, também esperamos que a colisão se não dê.
De resto, discutem-se neste espaço entre residentes (então o casamento FG?), visões diferentes da UE, o que o tem animado, quase dispensando a nossa modesta intervenção.
A minha vinda, hoje, às duas da manhã, destinava-se a dar eco ao apelo do parapeito.
Não foi preciso e ainda bem. Felizmente há estórias com Happy End.
O Jiminy Cricket andou em melhorias: - criou a janela dos destaques (antes que alguém ficasse tonto com tanto sobe e desce), montou o contador dos On Line e actualizou a coluna da esquerda.
Missão cumprida! Tenham boa quarta-feira.
Jiminy Cricket & LT
Nota: Qualquer semelhança entre este Post e os cartazes de Lisboa é mera coincidência.
9/17/2003 02:25:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)



terça-feira, setembro 16, 2003
 
SPA
Sociedade Portuguesa de Autores
Parabéns a Manuel Freire, José Jorge Letria, os rostos da Lista B, e aos restantes elementos da sua lista, que ontem ganharam as eleições para os corpos dirigentes da Sociedade Portuguesa de Autores, disputando o escrutínio com uma lista, a A, de respeito, liderada por Vasco Graça Moura.
Felicidades e bom trabalho à frente da SPA.
CMC
9/16/2003 10:58:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)




 
PSOE
Ao ler a notícia publicada pelo Diário de Notícias (16/09/03) a propósito dos socialistas espanhóis, não posso deixar de lamentar o que está a acontecer no seio dos nossos camaradas hispânicos. PSOE
Avizinhando-se o fim do reinado de Aznar, o PP está, presentemente, mais forte do que o PSOE. 10%, segundo as sondagens Quem é que há uns meses atrás previa isto?
Zapatero caminhava com todas as condições para vencer sem problemas as legislativas do próximo ano. O apoio e suporte dados pelo Governo espanhol aos E.U.A. a propósito da ofensiva militar norte-americana no Iraque remetia a maioria de direita para os piores lugares de aceitabilidade. Em Maio último, nas eleições regionais e autárquicas, o escrutínio era previsto como o marco final da graciosidade de Aznar. As urnas comprovaram o contrário. O PP teve tantos votos como o PSOE e obteve triunfos importantes, como o alcançado em Madrid. Região onde, precisamente, rebentou o escândalo. Dois socialistas ligados a actos de corrupção. As ambições do partido da rosa estão, desde este acontecimento, minadas. Aznar escolhe o sucessor. O PP nem contesta. Se voz houve, ou melhor, voto houve que não aprovou deliberadamente Mariano Rajoy, consta que foi o voto do próprio Rajoy, ao não colocar nem uma gota de tinta da sua caneta no boletim de voto. Um branco, os restantes legitimaram o sucessor do Presidente do Governo de Madrid à frente do Partido Popular, que foi alvo, na semana passada, de palavras indecorosas do número dois do PSOE, Alfonso Guerra, denominando o galego de "mariposon".PSOE
Os socialistas europeus, os espanhóis em particular, aparentam ter dificuldade em aprender com os erros que cometem. As eleições presidenciais francesas de 2002 deviam ter sido pedagógicas. Parece que não foram. Enquanto alguns dirigentes se preocupam com a sua carreira pessoal, quem governa é a direita. Veja-se o belo resultado: desemprego, instabilidade, insegurança.
O socialismo não se fica só pelos ideais, os actos também são parte integrante dos valores que se erguem.
CMC
P.S. - Filipe, como não há acesso aos comentários, fica a confirmação de a C.M.L. aderir ao Dia Europeu Sem Carros. Santana Lopes que era um crítico deste dia, felizmente mudou a sua posição. Dia 22 temos Lisboa sem carros.
Como o texto alude ao "Diário de Notícias", seria uma incorrecção da minha parte se não fizesse referência do artigo publicado por Luís Delgado. É raro, raríssimo concordar com a voz do regime, mas aplaudo e subscrevo a crónica de hoje.
9/16/2003 07:02:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)



This page is powered by Blogger. Some Text
.